Logo



Posts Recentes



20 março 2016

Quarto - Emma Donoghue

   Para Jack, um esperto menino de 5 anos, o quarto é o único mundo que conhece. É onde ele nasceu e cresceu, e onde vive com sua mãe, enquanto eles aprendem, leem, comem, dormem e brincam. À noite, sua mãe o fecha em segurança no guarda-roupa, onde ele deve estar dormindo quando o velho Nick vem visitá-la.
   O quarto é a casa de Jack, mas, para sua mãe, é a prisão onde o velho Nick a mantém há sete anos. Com determinação, criatividade e um imenso amor maternal, a mãe criou ali uma vida para Jack. Mas ela sabe que isso não é suficiente, para nenhum dos dois. Então, ela elabora um ousado plano de fuga, que conta com a bravura de seu filho e com uma boa dose de sorte. O que ela não percebe, porém, é como está despreparada para fazer o plano funcionar.

   Jack parece possuir uma inteligência até mesmo fora do comum em seus poucos 5 anos. Ama ler, sabe argumentar muito bem e tem opinião forte sobre tudo. Um menino único sob muitas formas, mas principalmente porque, além de ser muito esperto, viveu sua vida inteira cercado por 4 paredes. 
   A mãe de Jack foi pega quando ainda era muito nova, sequestrada por um velho solteirão e engenhoso que havia planejado toda uma estrutura para manter trancafiada sua vítima. Foram anos difíceis, ter sua liberdade perdida fez com ela perdesse toda a vontade de viver. Até que engravidou. Jack tornou-se sua única razão para continuar respirando.
   Conforme os capítulos vão passando, vamos conhecendo um pouco da rotina dos dois, aprisionados no Quarto. Apesar das dificuldades, a mãe de Jack fez de tudo para que ele conseguisse viver com pelo menos um pouco de normalidade. Juntos, os dois brincavam com jogos de tabuleiro, faziam educação física, liam, contavam histórias... tudo arquitetado pela mãe que queria que o filho fosse feliz apesar de tudo. 
   Mas, depois de sete anos aprisionada, a mãe de Jack não podia mais continuar com essa vida. Afinal, Jack estava crescendo, o que o velho Nick faria com o menino quando ele já fosse grande o suficiente para encará-lo? 
   Então, os dois, juntos, começam a pensar em um plano para saírem do Quarto. O plano escolhido é muito bem pensado e exige o máximo de Jack, que está aterrorizado com o fato de ter que enfrentar um Lá Fora, que ele nem sabia que existia. 
   O livro é narrado pelo próprio Jack, o que torna tudo mais especial, porque é através disso que vemos toda a ingenuidade de uma criança de 5 anos que passa por tudo isso, que não conhece o mundo e, de repente, se vê tendo que enfrentar tudo lá fora, coisas que ele via na televisão e nem sabia que existiam de verdade, que existia todo um mundo fora do Quarto, e não se tratava apenas do Espaço Sideral, que era o que a mãe havia ensinado. 
   Percebendo a agonia de uma mãe jovem e aprisionada é que começamos a entender muitas de suas ações. Compreendemos por que ela não contou para Jack que as coisas da televisão existiam mesmo, que havia outras crianças lá foram, que brincavam em parques, que iam para lojas comprar brinquedos... afinal, como ela poderia dizer que tudo lá fora era maravilhoso se o pequeno Jack jamais poderia conhecer e aproveitar o que o mundo e a liberdade poderiam oferecer?
   Emma Donoghue foi genial ao escrever essa narrativa tão sensível, que toca no fundo da nossa alma. A história de Jack e sua mãe pode não ser verídica como é contada no livro, mas nós sabemos que é a história de muitas jovens que são sequestradas e mantidas presas em porões por homens perversos. Duvido que você não conheça uma história parecida que já passou na televisão. 
   Apesar de ter me deparado com alguns momentos de monotonia e falta de ritmo, não quis largar o livro de maneira alguma. Emma pecou um pouco da metade do livro para o final porque começou a narrar descobertas demais para Jack. Claro que foi magnífico ver o quanto coisas comuns para nós eram novidade para ele, porém foram momentos demais e isso foi tornando a leitura um pouco parada demais. 
   Porém, o final me agradou. Não foi um final daqueles surpreendentes, mas pareceu verdadeiro em muitos sentidos, era o esperado e que bom que as coisas acabaram (ou começaram!) assim para Jack e sua mãe. 
   Falando na mãe de Jack... ah, como eu me decepcionei com essa mulher em alguns momentos! Quando eles estavam no Quarto, era quase palpável para nós, leitores, o amor e dedicação que essa mulher tinha pelo filho. Era lindo de se ver, porque mesmo inexperiente e jovem demais, ela se mostrava fantástica driblando as dificuldades. 
   Mas, quando o Lá Fora aconteceu, ela foi se mostrando muito fraca, o que entendo se formos pensar o quanto tudo a deixou debilitada demais. Mas, chega um momento em que ela desiste de tanto, que a vontade é de dar um chacoalhão nela e mandá-la acordar pra realidade. 
   Recomendo para qualquer um, tenha você simpatia por crianças ou não. Garanto que o charme de toda a narrativa está justamente na inocência e no brilho nos olhos de uma criança sagaz, que se vê descobrindo muito sobre a vida. 
“ Quarto é um livro para se ler de uma assentada. Quando ele termina, você ergue os olhos: o mundo parece o mesmo, mas de algum modo você está diferente, e esta sensação persiste por dias” AUDREY NIFFENEGGER autora de A mulher do viajante do tempo e Estranha Simetria. 
"O Lá Fora tem tudo. Agora, toda vez que eu penso numa coisa, como esquis ou fogos de artifícios ou ilhas ou elevadores ou ioiôs, tenho que lembrar que eles são reais, acontecem todos juntos de verdade no Lá Fora. Isso deixa minha cabeça cansada. E as pessoas também, bombeiros, professores, ladrões, bebês, santos, jogadores de futebol e gente de todo tipo, eles todos estão mesmo no Lá Fora. Mas eu não estou lá, eu e a Mãe, nós somos os únicos que não estão lá. Será que ainda somos reais?"

6 comentários:

  1. Oi, Kathleen!
    Estou me preparando emocionalmente para ler e assistir ao filme. Essa história deve tocar na alma.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe do sorteio Mês das Mulheres em Dobro
    Porcelana - Financiamento Coletivo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luiza!
      ahahaha é, eu acho que essa parte é importante. Prepare-se porque é lindo!
      Beijoss

      Excluir
  2. oi, oi.

    eu ainda não li o livro e nem vi o filme, mesmo tendo ele aqui baixado. acho que to me preparando emocionalmente pra história, sabe? sou do tipo que se envolve demais e, infelizmente, essa história é bem tensa e ao mesmo tempo incrível.

    Como sempre, tua resenha ficou ótima!

    bjs!
    Não me venha com desculpas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Adriel!
      Eu ainda estou pra ver o filme, mas achei o livro de uma delicadeza e emoção sem tamanho... acho bom você se preparar mesmo, mas não deixe de conferir, viu?
      Beijoss

      Excluir
  3. Oi Kathleen!
    Nossa, esse livro parece ser bem forte! Já tinha ouvido falar, mas não sabia que poderia ser tão intenso assim! Quero muito ler, mas acho que vou ter que me preparar um pouco psicologicamente rsrs
    Achei essa edição que você tem super bonita, e não sou muito adepta às edições com capas dos filmes, mas o que vale mesmo é a estória (porém, ficaria bem feliz se encontrasse a capa original hehe)

    Beijoos
    http://www.blogleituravirtual.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Marina!
      É um livro lindíssimo, apesar de toda a carga emocional que ele traz... prepare-se, mas não deixe de ler, tudo bem? hahaha
      Então, a minha é a original, eu não vi a do filme ainda por aí, o que eu vi, e que foi como a minha chegou da editora, foi essa capa com uma pequena jacket promocional do filme. Vou aproveitar e dizer que amei a capa simplista do livro!
      Beijoss

      Excluir

Obrigada pelo seu comentário! sua opinião é muito importante aqui no Vida em Marte, vou ler e responder com carinho ;)

Pin It button on image hover