Logo



Posts Recentes



18 janeiro 2016

A Menina mais fria de Coldtown - Holly Black

   No mundo de Tana existem cidades rodeadas por muros são as Coldtowns. Nelas, monstros que vivem no isolamento e seres humanos ocupam o mesmo espaço, em um decadente e sangrento embate entre predadores e presas. Depois que você ultrapassa os portões de uma Coldtown, nunca mais consegue sair. Em uma manhã, depois de uma festa banal, Tana acorda rodeada por cadáveres. Os outros sobreviventes do massacre são o seu insuportavelmente doce ex-namorado que foi infectado e que, portanto, representa uma ameaça e um rapaz misterioso que carrega um segredo terrível. Atormentada e determinada, Tana entra em uma corrida contra o relógio para salvar o seu pequeno grupo com o único recurso que ela conhece: atravessando o coração perverso e luxuoso da própria Coldtown. 

   Tana vive em um mundo ameaçado por um vírus muito poderoso, um vírus que transforma as pessoas em vampiros. Depois de um grande surto, o mundo que conhecemos já não é o mesmo, vive um real estado pós-apocalíptico, já que nada é igual e as pessoas convivem com o medo constante da possibilidade de serem atacadas por vampiros sedentos a qualquer momento. E, se esse vampiro morder alguém fundo o suficiente, essa pessoa pega o tal Resfriado.
   "Resfriado" é como chamam o estado de alguém que foi mordido por um vampiro. Essa pessoa não se torna imediatamente um ser imortal, antes disso ela, em seu estado Resfriado, deve tomar sangue humano. Para resistir à essa tentação, muitas pessoas que foram mordidas se trancam para terem uma pequena chance de voltarem ao normal. Isso se não beberem sangue em torno de 80 dias. O que é praticamente impossível. Os Resfriados são pessoas que adquirem uma força descomunal, fazem de tudo, sem conseguir pensar, para conseguirem suprir essa sede. Foi o que aconteceu com a mãe de Tana.
   Para o Governo conseguir "controlar" as populações e, principalmente, a própria infecção, foram criadas as tais Coldtowns. Cidades onde vampiros circulam livremente, juntamente com alguns humanos que arriscam as suas vidas, principalmente jovens em busca de aventura e esperando serem mordidos para conquistar a "vida" eterna. Depois que se entra em uma Coldtown, não se sai, a não ser que você possua o sinalizador. Um objeto dado pelas autoridades quando alguém os entrega um vampiro. É o que os caça-vampiros recebem como recompensa. É o que permite que pessoas presas nas Coldtowns consigam sair. 
   É com todo esse background criado por Holly Black, que começa, enfim, a história de Tana. A moça acorda em uma banheira, depois de uma festa com amigos regada a muita bebedeira, sem lembrar o que aconteceu. Aos poucos ela começa a perceber o ambiente ao redor: sangue, muito sangue. Saindo do banheiro, ela vê seus amigos mortos por toda a casa. Mesmo não se lembrando o que aconteceu, ela tem uma certeza: ataque de vampiros. 
   Tana é uma das únicas sobreviventes, e enquanto ronda a casa procurando entender o que aconteceu, encontra um vampiro misterioso, Gavriel, preso na cama, e seu ex-namorado Aiden, que está Resfriado. Temendo ter sido infectada e representar uma ameaça aos moradores e, principalmente, ao seu pai e irmã, Tana parte com seus dois companheiros improváveis, pra Coldtown mais próxima. 
   É a partir de tudo isso que apenas começa essa aventura. Holly Black é um poço de criatividade e soube criar um universo totalmente diferente e original, um universo sem furos e que eu, particularmente, considero muito melhor do que muitos que temos por aí, em livros que também abordam histórias de vampiros. Ah, isso tudo sem falar nos próprios personagens que Holly criou: Tana está longe de ser uma menininha indefesa e cheia de inseguranças, ela é forte, teimosa e decidida. Decidida a se sacrificar pra proteger quem ama. Além disso, temos o vampiro misterioso: Gavriel. Os motivos de ele estar amarrado na cama naquela situação começam a se revelar durante o livro e, então, vamos entendendo quem é ele. Gavriel possue um charme inegável, e eu devo admitir que fui me deixando levar pelos encantos desse personagem. 
   Outros personagens muito complexos e bem estruturados aparecem na narrativa: Midnight e Winter  são humanos e querem uma carona até a Coldtown e, mesmo isso parecendo loucura, Tana os aceita como companheiros de viagem. Mesmo não sabendo do real e banal motivo que faz com que esses jovens e inconsequentes queiram chegar lá. 
   É na Coldtown que Tana encara muitos desafios, choques de realidade (mesmo ela tendo visto de tudo no mundo lá fora) e uma missão que ela jamais pensou ter de encarar. O vilão do livro é um vampiro celebridade da cidade. Lucien dá festas em sua mansão e faz questão de ter muitas câmeras filmando, e tudo é um verdadeiro reality show, apresentado para muito além dos limites da cidade, mostrando uma falsa imagem de luxúria e muita riqueza e poder envolvendo os vampiros e sua imortalidade. Tana encara o seu maior desafio dando de cara com esse vampiro poderoso e influente, que, infelizmente, poderia ter sido melhor construído pela autora. 
   Em A Menina mais fria de Coldtown, vemos um livro que consegue manter o ritmo, alternando entre o passado e o presente de Tana e Gavriel, onde podemos entender melhor o que aconteceu com esses personagens. Além disso, tem um certo romance, mas ele não se põe em primeiro plano durante o livro, apenas do desfecho da história. Acredito que foi uma dose certa e me deixou muito satisfeita. 
  Devo dizer que esperei muito terror desse livro, considerando o título, o tema e a influência que carrega o nome de Holly Black (além de todo o marketing que ele teve). Ao invés disso, encontrei uma aventura muito bem bolada, onde temos vampiros que realmente deveriam provocar medo (e não, eles não brilham no sol, - graças! - eles queimam) e reviravoltas impactantes, uma trama envolvendo mortes, traição e segredos.

11 comentários:

  1. Oi, Kathleen!
    Desde o lançamento, eu queria esse livro e o adquiri recentemente o///
    Pela sua resenha, já sei que vou gostar da história. Pelo menos, temos vampiros voltando ao "normal", sem brilhar no sol.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luiza!
      Ah, que bom que você já o adquiriu \o/
      Espero que você goste! Quando terminar de ler, venha me contar o que achou, pode ser?
      Beijoss

      Excluir
  2. Oi Kathleen, td bem?
    Dito e feito, vc disse q ia liberar a resenha, e não demorou! Eu comprei esse livro pela capa confesso. Não tinha lido nem a sinopse, e nenhuma resenha dele. Desconfiava que seria sobre vampiros pela capa e pelo título. Mas como gostei das suas resenhas, resolvi lê-la. E que bom descobrir q a autora escreveu um livro digno dessas criaturas fascinantes. Bjo
    http://www.blogleituravirtual.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gustavo!
      hahaha pois é, dito e feito. Sim, eu também comprei pela capa hahaha e pelo marketing da editora, o livro estava em todo lugar!
      Sim, realmente foi muito bom ver os vampiros voltando aos tilhos ;) hahah
      Beijoss

      Excluir
  3. Olá, Kathleen.
    Eu quero muito ler esse livro. Até agora só li dois livros da autora e eles são em parceria com a Cassandra Clare, por isso quero ler um só dela e será esse. Que bom que você gostou. Eu estou um pouco saturada de livros de vampiros, mas esse eu vou querer ler.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sil!
      Ah, ainda não li os livros dela com a Cassandra... são bons?
      Pois é, eu pensei o mesmo quando comecei esse, mas gostei dele.
      Beijoss

      Excluir
  4. Não fazia ideia que esse livro se tratava de vampiros.
    Mas amei a forma que ele foi construído, e fiquei curiosa para saber se ela realmente foi infectada ou não. E porque vampiros tem a tendencia de ser tão sedutores rs.?
    Beijo

    www.tecontopoesia.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ahahahaha isso não posso contar :X
      Essa, Camila, é uma ótima pergunta! hahahaha
      Beijoss

      Excluir
  5. Oi!
    Não fazia ideia sobre o tema desse livro e muito menos que a história envolvia vampiros. Fiquei bem intrigada com toda essa aventura. Talvez eu possa dar uma chance mais para frente.
    Abraços!
    apenasumaleitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso, Mari!
      Dê uma chance, acho que você vai gostar ;)
      Beijoss

      Excluir
  6. Confesso que não conhecia a autora e acho que não percebi o marketing do livro, mas olha, gostei bastante! Parece uma história totalmente diferente das que estamos acostumados, com o tema "vampiros" que, vamos combinar, saturou as livrarias desde o lançamento de Crepúsculo. Vou procurar! :)
    Beeijo ♥
    http://www.daniquedisse.com.br

    ResponderExcluir

Obrigada pelo seu comentário! sua opinião é muito importante aqui no Vida em Marte, vou ler e responder com carinho ;)

Pin It button on image hover